Sunday, April 16, 2017

Opinião "Lua de Mel" de Sophie Kinsella

Olá queridos leitores!!



Sinopse (wook):

Lottie tinha a certeza de que Richard, o seu namorado de longa data, ia pedi-la em casamento. Mas estava enganada. Farta de esperar, decide terminar a relação. O inesperado acontece quando Lottie, ainda a recuperar da desilusão, recebe um telefonema. Do outro lado da linha está Ben, um ex-namorado com quem fizera um pacto insólito no passado. Se, aos 30 anos (ou aos 33…), nenhum deles estivesse casado, casar-se-iam um com o outro. Para Lottie a mensagem é clara: o Destino está a uni-los! 


Já Fliss, a irmã de Lottie, não tem tanta certeza disso. Ela sabe que, por detrás deste aparente ato arrebatado de paixão, Lottie tem o coração partido. Mas casar com alguém que não vê há 15 anos ultrapassa todos os limites.

O problema é que o mal já está feito… A solução? 
Seguir o casal até à ilha grega de Ikonos e fazer os possíveis (e os impossíveis) para impedir a consumação da união. 

Fliss rapidamente percebe que contrariar o Destino não é tarefa para os fracos de espírito, algo que ela acredita não ser. Mas à medida que o seu plano avança, uma dúvida paira no ar: estará ela preparada para pagar o preço pela intromissão?


Opinião:

No início estava a adorar. Era cómico, irónico e contrariava os clichés e a típica construção frágil das personagens sonsas das comédias românticas.

...mas tudo mudou de repente...

De um momento para o outro começaram a aparecer cada vez mais lugares comuns e frases completamente deslocadas... Uma bola ao poste aqui, outra bola à trave ali...
Os diálogos tornaram-se demasiado infantis e enervantes...
Via-me forçada a continuar...O prazer estava a desaparecer...Perdi o interesse. 

Gosto quando as histórias são narradas na primeira pessoa, e o facto de esta ser narrada por personagens diferentes (cada capítulo é alternado entre duas irmãs) aumentou a expectativa de tornar a experiência em algo ainda mais sublime...

...Infelizmente as minhas expectativas ficaram por aí...

É engraçado como gostei tanto de ler “Onde Estás, Audrey” da mesma autora, mas este livro ficou tão, mas tão aquém. Pareceu-me que os eventos foram criados à pressa e ao sabor do que ia na cabeça da autora. Não me pareceu genuíno, deliberado ou verosímil...

Há uns anos atrás era capaz de achar este livro interessante, mas, depois de ter lido tanta coisa com tanta qualidade, não consigo achá-lo minimamente atraente.

Não obstante a minha opinião, não deixo de registar os meus melhores agradecimentos à editora, que sempre apoiou este blogue desde o seu início.

Obrigada LeYa.







2 comments:

  1. Eu compreendo a tua opinião, é um livro cheio de clichês que promete mais do que dá, dentro do género eu gosto, mas também esperava mais.
    Vale por ser uma leitura leve e bem humorada. :)

    ReplyDelete
  2. É aborrecido quando a leitura nos desilude, mas acho que leria este livro só pelo gosto de ler romances. :P

    ReplyDelete